Home / Colunistas / Maratona Aquática com Poliana Okimoto

Maratona Aquática com Poliana Okimoto

Clínica de Natação:
Poliana Okimoto:
Começou a nadar aos dois anos,a competir ao sete anos,aos treze anos conquistou sua medalha de prata e teve a certeza que a natação é a vida dela.
Nos Jogos Olímpicos Rio 2016 se tornou a primeira nadadora brasileira a conquistar medalha olímpica (de bronze) na natação em maratonas aquáticas:
Venceu a Travessia dos Fortes de 2005
Em 2009 conquistou Copa do Mundo de Maratona Aquática, vencendo 9 das 11 etapas disputadas, tornando-se a primeira brasileira campeã da modalidade.
No Mundial de esportes aquáticos em 2009 a medalha de bronze na Maratona Aquática de 5 km sendo a primeira mulher brasileira a ganhar uma medalha na história da competição.
No Pan Americano em 2011 , conquistou a medalha de prata na prova de 10 km.
Mundial de esportes aquáticos em 2013 conquistou a prata em Barcelona.
Jogos Olímpicos Rio 2016,a atleta conquistou o bronze na maratona aquática de 10 km .
O evento Foi realizado ontem 21,em duas etapas:
A primeira no espaço Pátio Batel e contou com as duas palestras:
A primeira proferida por Ricardo Cintra ,técnico e esposo da atleta que falou sobre o histórico das maratonas aquáticas:
Em finais do século XIX e no primeiro quartel do século XX as competições em águas abertas tiveram uma grande aceitação, à existência de poucas piscinas, as competições de natação desenrolavam-se utilizando os meios aquáticos naturais.
Em 27 de Outubro de 2005, o Comité Olímpico Internacional decidiu integrar a natação de águas livres no programa dos Jogos Olímpicos de Verão de 2008.
A seguir ele falou sobre :
Toda a parte de treinamento da atleta como ele é desenvolvido com objetivos plenos de conquistas importantes.

Os treinamentos são intensos e programados em conjunto com a musculação .
Os principais pontos da maratona: saída, aproveitamentos de vácuo em fila indiana, vácuo lateral, alimentação e chegada.
Ele salientou que a saída não define a prova ,mas sim a chegada de forma correta é fundamental e se feita de forma incorreta poderá ocasionar a desclassificação da atleta.
Falou também sobre a necessidade de superar o medo das adversidades que nadar no mar podem apresentar: bichos (Leões marinhos,arraias etc) mudanças repentinas do estado do mar e lesões.

Após a palestra do técnico, o evento ofereceu um lanche no intervalo aos seus trinta e dois participantes .
Conversei com alguns participantes que vieram de Santa Catarina ,uma equipe de natação máster, e uma pessoa de Porto Alegre.

No retorno do intervalo tivemos uma palestra em que a atleta contou sobre sua emocionante carreira,em que contou desde sua infância,quando começou a nadar aos dois anos e descobriu o amor pelo esporte.
Ela superou o medo do mar e muitas dificuldades,críticas,venceu por determinação,foco nos objetivos e muita persistência .

Para ela,os sonhos só podem ser realizados quando lutamos por eles.

Ela falou sobre a importância do esporte na vida das crianças ,o quando ele nos ensina a crescer pessoas melhores.
Encerrando,ela falou também sobre alimentação,descanso,abdicação de muitas coisas ,sacríficio e o preço alto de ser uma multi campeão.

E entrando no assunto sobre a maratona,perguntei a ela:

Existe uma idade certa pra começar a maratona?
Hoje em dia ,já tem várias provas no Brasil inteiro com categorias de base ,desde mirim com provas de 200 mts até evoluindo pra 5 e 10 km ,eu comecei muito tarde,estou meio que no caminho ao contrário,a Ana Marcela e o Alan começaram nas maratonas aquáticas,com 14 e 13 anos respectivamente,a Maratona aquática é o esporte mais democrático que eu conheço e desde criança,até o adulto máster consegue fazer uma prova legal.
É bem interessante estas provas porque o pai pode levar os filhos e eles nadaram juntos,isso é muito legal,gostoso e recreativo pra família,é um passeio famíliar junto,não tem uma idade,lógico que a criança já tem que saber nadar na piscina pra depois ir pro mar.

Pra você qual será o futuro da Maratona Aquática?
Estamos só crescendo,sou muito orgulhosa de estar sendo a pioneira,abri a porta da maratona aquática,não só para os atletas,Ana Marcela,Alan,Diogo Vilarinho que vem crescendo muito,abri as portas para o esporte que no Brasil era pouquíssimo conhecido,com isso teve mais provas,mais gente participando,mais campeonatos na tv sendo transmitidos então,fico muito feliz ,orgulhosa de ser uma das pioneiras na maratona aquática e eu sei que esta modalidade vai crescer cada vez mais no Brasil.
Como estão os projetos de base,você consegue acompanhá-los?
Infelizmente assim,tem pouquíssimos projetos de base,ainda a gente tem que tirar o atleta de maratona que sai da piscina,eu fui um exemplo desses,são pouquíssimos clubes que dão apoio pra maratona aquática,que levam as crianças desde pequenas nas provas para evoluírem na modalidade.
Primeiro a criança faz as provas de piscina,aí se gosta é o pai que leva pra maratona,não é o clube eu vejo muito isso.
Como a natação brasileira é muito clubística,os clubes tem que apoiar um pouco mais as maratonas também,levar a criançada,porque às vezes tem um talento lá que nem sabe que tem e só fazendo as provas pra saber como é.

Na academia Gustavo Borges:
A segunda etapa foi realizada a partir das 14:00
Foi um treinamento prático na piscina da academia onde o técnico Ricardo Cintra , fora da piscina e a Poliana Okimoto ensinaram os procedimentos da maratona com os participantes onde aconteceu:
Os dez minutos de aquecimento : todos nadando lado a lado em volta da piscina .
Na Piscina tinham duas grandes bolas que serviram para a prática do contorno das bóias.
O ponto fundamental da respiração, olhando pra frente foi a primeira coisa a ser trabalhada.
A grande importância do aprendizado do contorno das bóias está em uma técnica apurada ,o que evita o gasto energético desnecessário.
Primeiro foi feito o treino de contorno de uma bóia e depois das duas.
A Poliana ia fazendo as demonstrações e os participantes acompanhando.
Outras técnicas de aproveitamento de vácuo frontal e lateral também foram ensinadas.
A alimentação: de que forma ela é realizada no mar, perguntei a um participante ele me disse que em média ele se alimenta a cada hora.
E finalmente a técnica da chegada,é ela que realmente decide a competição.
Na maratona aquática como em todos os esportes todos os detalhes são fundamentais na busca de uma grande conquista.
O cuidado com execuções erradas em alguns fundamentos como a alimentação e a chegada podem causar uma desclassificação.
Foi muito gratificante ter participado deste evento de imensa relevância ,a atleta Poliana ,uma grande campeã do esporte com destaque internacional ,mostrou-se uma pessoa com a humildade proporcional às suas extremas vitórias ,uma pessoa muito humana que mostrou –se emocionada ao sentir o carinho que as pessoas a ela demonstraram durante o evento.
As lágrimas fazem parte da vida: na vitória, na derrota e na emoção do grande reconhecimento que ela por tudo que representa ao esporte brasileiro e internacional .
Ela rompeu barreiras e abriu uma estrada longa a todos aqueles que como ela amam o esporte que praticam.
O mar é realmente apaixonante,mas muito perigoso só vence nele aquele que realmente está muito bem preparado para enfrentá-lo.

 

 

Deixe seu comentário

Comentar

Sobre Patrícia Deud

Leia também

Projeto SESI Superliga

Projeto SESI Superliga Masculino Data:21/10 Hora: 20:00 Local: na Arena Multiuso, em Ponta Grossa. O …